Indicações de livros e filmes

Este espaço é destinado as companheiras e companheiros do PTB para indicação de livros e filmes que tratem sobre mulheres, politica, politicas publicas e desenvolvimento pessoal, profissional e politico. Indique você também um livro ou filme para ptbmpoars@gmail.com




terça-feira, 05 de novembro de 2011


Dicas de Leitura do PTB Mulher de Porto Alegre

Aproveite a 59ª Feira do Livro em Porto Alegre de 01 à 17 de novembro

Histórias e Conversas de Mulher
Autor: Priore, Mary Del; Priore, Mary Del
Editora: Planeta do Brasil
Categoria: Geografia e Historia / Historia Mundial


Namoros com homens mais jovens. A paixão por usar botinhas de salto. Corpo trabalhado artificialmente para projetar seios e nádegas e assim ficar mais voluptuoso. O uso de cremes com ingredientes naturais para clarear a pele. Sim, a vida de algumas sinhás do século XVIII lembra a de uma mulher do século XXI... mas só na aparência. Foram necessários mais de 200 anos para que as mulheres conquistassem direitos que permitem a livre expressão e o exercício da cidadania: votar, usar anticoncepcionais, divorciar-se, ir à praia de biquíni, ocupar cargos de alto escalão em empresas multinacionais e muitas outras coisas. Este livro instigante revela como evoluiu – e se revolucionou – a vida das brasileiras, dos tempos da colônia portuguesa aos dias atuais.




segunda-feira, 15 de julho de 2013

Filme “Quebrando o Tabu” com análise de Fernando Henrique sobre combate às drogas

O filme "Quebrando o Tabu", tem como principal objetivo a abertura de um debate sério e bem informado sobre o complexo problema das drogas no Brasil e no mundo. O filme abrange todos os públicos – os jovens, os pais, os professores, os médicos e a sociedade como um todo, para que se inicie uma conversa franca que leve a diminuição do preconceito, ajude na prevenção ao uso de drogas e que dissemine informações com base científica sobre o tema.
É dirigido pelo cineasta Fernando Grostein Andrade, com a participação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) em análises sobre o combate às drogas no Brasil. O ex-presidente realiza várias viagens pelo mundo, sempre em diálogo com jovens locais e profissionais que se dedicam a tratar a questão das drogas de forma mais humana e eficaz do que as propostas na “guerra às drogas”, declarada pelos EUA há 40 anos.
Além de FHC, também participam do documentário os ex-presidentes americanos George H. Bush, Bill Clinton e ex-chefes de Estado, como os da Colômbia, México e Suíça. O diretor também colheu depoimentos do médico Dráuzio Varella e do escritor Paulo Coelho, além de especialistas internacionais que analisam o trabalho de repressão ao tráfico de drogas em diferentes países
Logo no início do filme, FHC  que ao longo dos anos mudou sua opinião sobre a questão das drogas. “Só quem é burro não muda de opinião diante de fatos novos” - disse ele. Em outro trecho, Fernando Henrique admitiu a dificuldade de acabar com esse problema em todo o mundo: “Viver num mundo sem drogas é utópico, isso nunca existiu, mas podemos trabalhar para reduzir os danos”.
O filme foi gravado em oito países: Brasil, Estados Unidos, Portugal, Holanda, Colômbia, Suíça, França e Argentina; em cidades como Genebra, Amsterdã, Washington, Los Angeles, São Paulo, Rio de Janeiro e Bogotá. As gravações somaram 400 horas de material bruto e 176 pessoas foram entrevistadas.
É um documentário muito bom, e eu recomendo pois “ nunca antes na história deste país”  um ex-presidente foi para frente das câmeras para discutir sobre a legalização de entorpecentes.
O filme está disponível no you tube, e inclusive tem um site: http://www.quebrandootabu.com.br.

Tanise Amália Pazzim
Presidente do PTB Mulher / Porto Alegre





sábado, 3 de agosto de 2013

Indicação de leitura: A menina que roubava livros

The Book Thief (A menina que roubava livros) é um romance do escritor australiano Markus Zusak. O livro é sobre Liesel Meminger, uma garota que encontra a Morte três vezes durante 1939–43 na Alemanha nazista.
O livro tem como narradora a Morte, cuja função é recolher a alma de todos aqueles que morrem sem intervalos. Durante a sua passagem pela Alemanha, na Segunda Guerra Mundial, ela encontra a protagonista, Liesel Meminger, em uma estação de trem enquanto o irmão mais novo da última é enterrado próximo ao local. A garota, ao perceber que o coveiro presente deixou um livro, O manual do coveiro, cair na neve, rouba ele e é levada, então, até a cidade fictícia Molching, onde a sua mãe pretende entregá-la a uma família para que adotem ela. Na Rua Himmel, reside o casal de classe trabalhista formado por Hans e Rosa Hubermann. Lá, ela convive com os novos responsáveis e vai à escola, assim como faz amizade com o vizinho Rudy Steiner. Como ajudante de sua mãe, começa uma amizade com a mulher do prefeito Ilsa Hermann, embora ela só perceba o tamanho dessa amizade no fim da história.
Ao longo dos quatro anos que viveu com os Hubermann, Liesel aprende o que é solidariedade. Os livros roubados lhe ensinaram muito. Eles acolheram um judeu, Max, para poder ajudá-lo, devido à uma antiga promessa feita por Hans Hubermann, à sua mãe. A sobrevivência, durante a guerra, a discriminação da raça..... Leiam! É um ensinamento de paciência, com violência (de aceitação),... enfim. Uma lição de vida.

Tânia Falcão
Jornalista 
Secretária de Comunicação do PTB Mulher POA







sexta-feira, 7 de junho de 2013

"PARA ABRIR O CORAÇÃO"

Gostaria de recomendar a todas um livro intitulado “PARA ABRIR O CORAÇÃO – treinamento para a Paz” de CHAGDUD TULKU RINPOCHE. Uma leitura bastante reflexiva e profunda, que procuro trazer sempre junto de mim, pois é um livro para pessoas que desejam abrir o coração, transformar a própria mente e o mundo. Ele nos ensina que a raiz de todos os problemas é a negatividade alojada em nossa mente – e é pela nossa mente que devemos começar a mudar e transformar o mundo.
“Tentar mudar o mundo sem mudar a nossa mente é como tentar limpar o rosto sujo que vemos no espelho esfregando o vidro”
O ponto de partida é o desejo sincero de beneficiar aos outros tanto quanto beneficiamos a nós mesmos. E para tanto devemos evitar os chamados “venenos da mente” que são: a ignorância, a raiva, o apego, a inveja e o orgulho, pois a nossa mente é um campo fértil, e se for contaminado com esses venenos, inevitavelmente teremos colheitas envenenadas.
Precisamos cultivar as sementes medicinais que são os atos de bondade, amor e compaixão íntegros e virtuosos, pois estes produzirão os frutos da Paz e do beneficio.

PARA ABRIR O CORAÇÃO – Treinamento para a Paz de CHAGDUD TULKU. Compilado e editado por Lama Shenpen Drolma; tradução de Candida Bastos – 2ª edição – Três Coroas: Makara, 2011. 296p.

Miriam Weber
Primeira Secretária do PTB Mulher - Porto Alegre
·                     Psicóloga (ULBRA)
·                     Sanitarista (Especialista em Saúde Publica (UFRGS)
·                     MBA Especialista em Mediação de Conflitos (IBGEN)
·                     Psicopedagoga (Especialista em Psicopedagogia (PUCRS) em andamento (cursando)
·                     Especialista em Gestão Pública (UFRGS) em andamento/cursando





“Infiel – A história da mulher que desafiou o Islã”. 
Este livro é uma autobiografia que relata a história de Hirsi Ali. O livro revela a trajetória de uma mulher, nascida na Somália sob o regime do Islã, que se rebelou contra tudo aquilo que não concordava. Lutou pela política do feminismo frente às disputas religiosas, nacionais e contra a domesticidade do espaço da família. Enfrentou preconceito, família e governo, para se tornar uma mulher independente e viver conforme suas convicções. Mesmo contrariando a lógica, Hirsi Ali venceu. Tornou-se mestre em Ciência Política e deputada pela Holanda. E ao lutar por projetos de apoio às mulheres e questionar os valores islâmicos, criou muitos inimigos, o que obrigou a exilar-se nos Estados Unidos.
Recomendo a leitura, pois o livro retrata uma realidade muito distante, de uma cultura diversa, que trás a baila a questão de como a mulher é vista e tratada em alguns países do oriente, e quais os sacrifícios são precisos para  se chegar onde quer.

Josi Paz
Advogada e assessora parlamentar
Diretório do PTB Mulher de Porto Alegre



Olá.
Acredito que o hábito da leitura traz inúmeros benefícios a alma. Atualmente somos bombardeados por inúmeras informações, e  nem sempre capturamos as melhores. Dessa forma, a leitura de bons livros, sejam eles, o livro impresso ou e-books, além de nos proporcionar momentos de lazer, nos focam em nossos objetivos.
Ao ler “Getúlio Dornelles Vargas (1882-1954)” a monumental trilogia Getúlio, de Lira Neto, da qual até o presente momento temos o primeiro volume, fiquei muito entusiasmada, e enobrecida por pertencer o Partido Trabalhista Brasileiro, em especial da Capital de todos os Gaúchos- Porto Alegre.
Neste livro, onde o primeiro volume narra o nascimento, Getúlio em sua infância, sua adolescência, os primeiros passos deste grande Estadista gaúcho, na política são-borjense e brasileira, até a Revolução de 1930.
Este primeiro volume ajuda a decifrar a “esfinge Getúlio” e mostrar como foi possível que convivessem no mesmo indivíduo o revolucionário, o ditador, e o reformador social.
Relata ainda, a herança política caudilhista, sob a égide dos caudilhos gaúchos Julio de Castilhos e Borges de Medeiros; a formação positivista, com uma forte tendência anti-cristã depois abafada por conveniências políticas; as escaramuças da sangrenta política regional gaúcha; o aprendizado da política em âmbito nacional na capital da República; as relações ambivalentes com as velhas oligarquias e com a inquietação tenentista; o esboço das ideias trabalhistas e da tutela do estado sobre as relações entre o capital e o trabalho; o desenvolvimento de uma personalidade política ardilosa; a oscilante candidatura de oposição à presidência em 1930 e por fim a Revolução vitoriosa que liquidou a Primeira República e instaurou uma nova era na política brasileira.
Estou ansiosa no aguardo do Segundo Volume, que segundo informações da Editora Companhia das Letras, será em agosto próximo, principalmente pois elucidará a todos as circunstâncias pretéritas que culminaram na maior revolução social que este país já presenciou, em especial o voto feminino em 1932.

Paula Vaz Pinto
Secretária Jurídica do PTB Mulher / POA





SEGUNDA-FEIRA, 02 DE JUNHO DE 2013

Prefeitos de Porto Alegre – Cotidiano e administração da capital gaúcha entre 1889 e 2012.

Este livro é escrito pelo advogado e consultor Antônio Augusto Mayer dos Santos que dispensa apresentações. Como escritor estou conhecendo seu trabalho agora, e estou fascinada por esta obra que conta uma parte importante da história da nossa capital.
Com um texto leve e despretensioso, Antônio Augusto nos fala sobre quem foram e os principais atos de todos os 40 chefes do executivo municipal, após a proclamação da República, desde Felicíssimo de Azevedo até José Fortunati.
O livro é da editora Verbo Jurídico e podemos encontra-lo nas melhores livrarias de POA com valor bem acessível. Fica a dica de leitura!

Carla Zambiasi
Arquiteta e urbanista, cantora e compositora




Nenhum comentário:

Postar um comentário